Buscar
  • Dr. Paulo Prates

17 de Maio - Dia Mundial da Hipertensão Arterial


Mitos e Verdades

 

O dia mundial da Hipertensão Arterial (HA), 17 de maio, tem por objetivo alertar a população para a importância desta doença. Para se ter uma ideia, cerca de 35% dos brasileiros são hipertensos.

Sabemos que a hipertensão é o principal fator de risco para outras doenças cardiovasculares especialmente o Infarto Agudo do Miocárdico (“infarto do coração”), Acidente Vascular Cerebral (AVC) popularmente chamado de “derrame cerebral”, Insuficiência Renal Crônica (“doença nos rins”), entre outras.

O controle adequado dos níveis de pressão arterial, pode reduzir em até 42% o risco de derrame cerebral e em 15 % o de infarto do coração, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Por isso, a medição da pressão arterial é essencial para o diagnóstico e tratamento precoce.

Um outro dado interessante é que cerca de metade dos pacientes desconhece que é hipertenso, o que os tornam vulneráveis a complicações potencialmente evitáveis.

 

1- O estresse aumenta a pressão arterial.

Verdade. Devido a liberação de determinados hormônios, o estresse eleva os níveis pressóricos e aumenta o consumo de oxigênio pelo músculo cardíaco, podendo gerar instabilidade elétrica ou de alguma placa de aterosclerose (“placa de gordura”), podendo causar arritmias ou infartos.

 

2- A hipertensão é mais comum entre as mulheres.

Mito. No Brasil sabemos que a prevalência de hipertensão é maior nos homens. Entretanto, após a menopausa, a situação se inverte em virtude da diminuição da produção de estrogênio na mulher.

 

3- O Álcool prejudica o controle da pressão arterial.

Verdade. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas, especialmente quando associado a energéticos, aumenta substancialmente os níveis pressóricos e está associado a maior risco de morte por doenças cardíacas, como arritmias e infartos.

 

4- O sal da comida, sozinho, é o grande responsável pelo aumento da pressão arterial.

Mito. Apesar de ser um dos principais fatores de risco, o sal adicionado à comida não é o único vilão. O sódio presente em diversos alimentos industrializados e processados também é um dos responsáveis pelo aumento pressórico. O brasileiro consome em média o dobro de sódio recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

5- A hipertensão não causa sintomas.

Verdade. A hipertensão é conhecida como doença silenciosa, justamente por não apresentar nenhum sintoma. Por isso a importância de reconhecer a doença o mais cedo possível para tratar adequadamente desde o início, evitando assim, doenças ainda mais graves e potencialmente fatais. Para isso se faz necessário consultas periódicas a depender da idade e fatores de risco de cada paciente.

 

6 – Quem tem pressão alta corre risco de infartos e outras doenças.

Verdade. Níveis pressóricos elevados, aceleram o processo de aterosclerose (“placas de gorduras”) em nossos vasos sanguíneos e em órgãos nobres como coração, cérebro e rins. Desta forma, aumenta o risco de derrame cerebral, infarto do coração ou insuficiência renal crônica.

 

7- A hipertensão tem cura.

Parcialmente verdade. Sabemos que 90% das hipertensões são chamadas de primárias. Ou seja, o problema é hereditário e não tem cura. Para isso devemos diagnosticar precocemente para obter um controle pressórico adequado.

Já a chamada hipertensão secundária, de prevalência em torno de 5 a 10 % das hipertensões, tem cura. É mais comum em pacientes mais jovens ou crianças que desenvolve hipertensão. Nesta situação se faz necessário uma consulta clínica detalhada, exames laboratoriais e de imagens para o diagnóstico.


 

É muito importante que o paciente entenda sua doença em sua totalidade. Alguns pacientes nem irão precisar de medicação, apenas mudanças do estilo de vida e dos hábitos dietéticos já serão suficientes para o controle pressórico. Outros, além das mudanças de estilo de vida e hábitos dietéticos, precisarão de medicações.

Adote um estilo de vida saudável com atividades físicas regulares, uma alimentação saudável, evite o álcool e o tabagismo, durma melhor e faça consultas regulares ao seu cardiologista em busca da prevenção e de diagnóstico precoce.


Cuide do seu amigo do peito e vivam juntos os grandes momentos da vida!


Dr. Paulo Prates

Médico Cardiologista e Ecocardiografista

CRM-MT 7743 / RQE 6272


0 visualização0 comentário